Unwritten

Escrever, escrever e escrever....
Deixar as palavras formarem frases, parágrafos e textos... Contar notícias, tragédias, cartas de amor, cartas de saudades, de alegria, mensagens de reflexão.Buscar em coisas escritas aquilo que não se encontra ao escutar.Achar no meio de um livro antigo uma rosa seca e, ao ver, recordar o passado.
Desligar-se do mundo ao ler um livro, entrar na história e ser o narrador observador.E por alguns instantes esquecer de tudo.

Eu escrevo por hábito, por gosto, porque quando escrevo esqueço do mundo ao meu redor, as palavras chegam na minha mente e eu simplesmente as escrevo.Podem não ter significado pra você, mas para mim, sempre tem.

Nossas vidas são como livros, a cada dia uma nova página é escrita.

21 fevereiro, 2008

O "quase" não pensar me fez chegar a uma conclusão!

Ultimamente não ando com ânimo para escrever, até pensar já se torna um sacrifício... Estou poupando ATP's, sinapses e neurônios (este seria o lado positivo).
Vejo que com o passar dos anos, minha maneira de pensar e escrever sofreram alterações um tanto quanto drásticas. São atos intrísecos na minha vida- adoro ouvir quando o professor fala que algo é intríseco, fora outras palavras que não estou habituada a ouvir e soam um tanto estranho.
Eu desde de pequena tenho problemas com certas letras do alfabeto e suas pronúncias; um exemplo claro é chacina - demoro um ano pra poder falar e ainda tenho que pensar muito bem na fala. Chalé, iorgute, lagartixa, intersticial - nem pensa que falo, saí tudo menos o certo; Palavras com G e S/C no meio eu me perco um pouco, ainda mais se estiver empolgada, falo muito rápido e começo a enrolar tudo. Tem mais palavras, só não estou me lembrando agora, costumava trocar muito na hora de escrever a letra F pela V, não sei explicar o motivo, mas volta e meia tem um "Voi" escrito no meu caderno.
O que atrapalha tbm é a tal da escrita pela net, tudo abreviado e grafado errado, o que acaba por prejudicar na hora de elaborar um texto. Eu vivo juntando as duas formas de escrever, mas sempre procuro grafar corretamente e sem muitas abreviações nos meus post, mas sempre tem algo abreviado...
Chego a uma conclusão:
Eu sou única nas minhas esquisitices (digamos assim). Creio ser a ÚNICA pessoa destra que mexe no mouse com a mão esquerda porque não tenho a menor habilidade com a direita, demoro o dobro pra fazer as coisas, lavo os talheres com a canhota também e tenho mais força nessa mão. Engraçado isso né?
Se alguém também mexe o mouse com a esquerda e é destro me comunique! Peço encarecidamente, pois assim me tranquilizo por saber que não sou a única a ter mais habilidades pra certas atividades com a canhota sendo que sou destra.


Aliás tenho muitas outras manias, como por exemplo, falar sozinha, ou melhor com os objetos. Isso é de família.... Tive a ousadia de reparar nesse detalhe, para não me achar louca, apesar que eu não fico repetindo a cena que se passou e falando pra mim mesma, eu apenas falo com algumas coisas inanimadas e penso alto - demais.

No fim, acabei queimando ATP's e tendo uma linha de raciocínio que me fez chegar a uma conclusão. E é sempre assim, basta escrever a primeira linha para que as outras se formem num piscar de olhos e formar mais um post.

2 comentários:

[Red Skin] disse...

noooooooooooooooooooooooooooooossa!!! eu nao sou o único! hehe

calma... eu sou destro e faço todo o resto com a mão direita, existem algumas excessões, mas 99% das coisas faço com a mão destra.

não sou único pq as vezes quero escrever alguma coisa, e é só fazer a primeira linha que o resto qse flui naturalmente! e vejo tantas pessoas com dificuldade pra escrever q as vezes me sentia esquisito :DD bem, tlz eu seja esquisito, mas parece q não sou o unico hehe

e quando eu era mais novo eu tambem trocava o "f" e o "v" tanto na hora de falar quanto na hora de escrever. sinceramente, não sei como me curei disso, acho q foi a escrita e a leitura... não sei ao certo...

e se nao mudassemos ao longo do tempo... não teria graça não concorda?

bjão!

Thiago disse...

Ela é confusa - pensou ele com muita hesitação. Parte daquilo; sentimentoo qual ele não sabe descrever; era simples retulância em falar de coisas que lhe eram muito dolorosas.
Talvez esse seja o porque de ela sempre o jogar contra a parede e sempre estar afastada do muro.
Ele achou, contudo, que no geral se devia ao desejo de não confundir questões que já eram confusas, dizendo mais do que de fato ela sabia, ou, sentia. Ele admirava isso. Ele a admirava.