Unwritten

Escrever, escrever e escrever....
Deixar as palavras formarem frases, parágrafos e textos... Contar notícias, tragédias, cartas de amor, cartas de saudades, de alegria, mensagens de reflexão.Buscar em coisas escritas aquilo que não se encontra ao escutar.Achar no meio de um livro antigo uma rosa seca e, ao ver, recordar o passado.
Desligar-se do mundo ao ler um livro, entrar na história e ser o narrador observador.E por alguns instantes esquecer de tudo.

Eu escrevo por hábito, por gosto, porque quando escrevo esqueço do mundo ao meu redor, as palavras chegam na minha mente e eu simplesmente as escrevo.Podem não ter significado pra você, mas para mim, sempre tem.

Nossas vidas são como livros, a cada dia uma nova página é escrita.

19 junho, 2011

Sanidade insana !!!

Queria gritar ao vento todos os meus sentimentos ruins para que ele os levasse para bem longe
Queria deixar meu coração pulsar fortemente por uma paixão sem saber que posso me machucar
Queria saber que os caminhos pelos quais ando são certos e não carregar essa incerteza dentro de mim
Queria às vezes, apenas ser eu mesma.
Queria tanta coisa e ao mesmo tempo que só mesmo em versos soltos como estes posso me desabafar e me sentir melhor por estar me libertando de alguma forma de tudo que me rodeia e apenas escrever o que passa pela minha mente agora.

Estou tão confusa, tão desiludida com algumas pessoas e certos atos.
Queria deixar minha sanidade de lado e extravassar...
Já me falaram que "dar uma de louco" às vezes funciona, será mesmo??

Acho que o jeito é se conformar e seguir em frente mais uma vez....

02 junho, 2011

Ao fechar os olhos....

Há algum tempo atrás era só uma garota, mas com algumas responsabilidades que vieram com a maturidade precoce devido as brigas dos pais. Cansada de ser alvo de intrigas resolveu simplesmente se calar, se fechar em sua casca de nós e ali ficar....
Por algum tempo isso foi suficiente, conversar com sua mente e ali imaginar uma vida sem problemas, queria apenas se sentir feliz e ter a certeza de que tinha amigos ao seu redor que nunca a deixariam sozinha. Porém, tinha que existir uma válvula de escape, mas qual??
Ao se ver num momento em que seus amigos já estavam "cansados" de ouvir sempre os mesmo problemas, pensou que seria interessante compartilhar seus desvaneios, mágoas e tudo aquilo que lhe viesse à cabeça com o mundo a fora.
De uma forma às vezes subentendida por entrelinhas ela conseguiu transpor em palavras seus sentimentos e um mundo novo se abriu. Escrever era uma terapia e, quando outras pessoas liam e deixavam sua opnião ela o clímax de tudo. Saber que não estava sozinha e que alguém gastava alguns minutos do seu tempo acompanhando seu blog e ainda por cima comentando, era muito legal! Algumas pessoas também se sentiam como ela e isso a deixava de certa maneira reconfortada.  
E os anos foram se passando entre altos e baixos, momentos inesquecíveis e alguns que até hoje prefere fingir que não aconteceu. Esquecer para não se magoar mais, mas mesmo assim ela sabe que lá no fundo existem certas situações que só de comentar a faz chorar por dentro e ficar melencólica por algumas horas do dia.
A vida às vezes é traiçoeira, mas no seu caso o mais difícil de aceitar foi a falta de ter uma mãe-amiga, dedicada, carinhosa, enfim, uma mãe "comum"como tantas outras. O egoísmo é muito triste, faz das pessoas seres horríveis, prepotentes e que em pequenos atos formam feridas muito doloridas.
Sua salvação foi sua avó e sua tia que a criaram para ser uma menina linda e inteligente que conseguiria tudo o que almejasse. Claro que não foi assim. Teve muitas pessoas queridas que ajudaram ela por esse percurso e que sempre ficarão guardadas na memória e no coração, porque elas a fizeram acreditar que um dia tudo iria passar.
E hoje ao fechar o olhos e olhar para trás ela pode afirmar que foi muito determinada em seus objetivos e que ainda tem muito pela frente, mas se deu conta de que precisa contar isso a alguém, hoje as amizades são difíceis de se manter à distância e aqui nesta cidadela em que mora, as pessoas não são tão compreensivas. Verdadeiras amizades são difíceis, e isso a esta deixando desanimada com o passar dos anos.
Ela quer acreditar novamente que tudo irá passar, que ao se formar no final do ano tudo possa melhorar, pois assim poderá provar seu valor. A vida está lhe dando tantos tombos que às vezes queria sumir ou apenas se deitar debaixo das cobertas e poder dormir tranquilamente, no fundo ela sabe que irá conseguir, mas acho que está faltando um empurranzinho...
Por enquanto, apenas volta a fechar os olhos e sonhar com um mundo melhor...