Unwritten

Escrever, escrever e escrever....
Deixar as palavras formarem frases, parágrafos e textos... Contar notícias, tragédias, cartas de amor, cartas de saudades, de alegria, mensagens de reflexão.Buscar em coisas escritas aquilo que não se encontra ao escutar.Achar no meio de um livro antigo uma rosa seca e, ao ver, recordar o passado.
Desligar-se do mundo ao ler um livro, entrar na história e ser o narrador observador.E por alguns instantes esquecer de tudo.

Eu escrevo por hábito, por gosto, porque quando escrevo esqueço do mundo ao meu redor, as palavras chegam na minha mente e eu simplesmente as escrevo.Podem não ter significado pra você, mas para mim, sempre tem.

Nossas vidas são como livros, a cada dia uma nova página é escrita.

24 março, 2008

Just me

Se eu fosse escrever mais um capítulo pra vida de Sarah seria algo assim: O medo da impulsividade. Mas eu estaria falando dos meus sentimentos e não seria justo, por isso vou falar por mim mesma.

Nada com um dia após o outro, por mais clichê que isso seja é verdade. Apesar que continuarei a ser eu quando amanhecer, a diferença é que você passa refletir sobre o que aconteceu e, a partir daí, toma uma decisão(entenda como sendo uma atitude) e segue sua vida.

Dizer que meus sentimentos serão sempre os mesmos tão é bobagem quanto dizer que por mais que eu mude sempre serei eu.

Paradoxalmente, eu continuarei a ser "eu". Meu ego, meu jeito, minhas ações, minha cara. Claro que mudar é inivitável e preciso tbm, posso ver claramente essa minha metamorfose ao olhar minhas fotos de um ano atrás e quando vejo uma cena se repetir e eu não cometer o mesmo erro.

Meu modo de agir e pensar se modifica de acordo com o ambiente e as situaçõs que vivencio, mas nem por isso deixarei de ser EU.

Posso ser, aliás sou diferente de todos ao meu redor, não sigo o senso comum.
Não me visto na moda, não sigo tendências, não sou diferente quando tento ser igual.
Não me julgo igual ao ser diferente.

Sou apenas eu.

That it's too late to apologize...

Queria pedir desculpas por:

... meus atos inconsequentes,
... certas atitudes infantis,
... meu jeito incompreensível de ser,
... pelas minhas crises de estresse,
... por achar que sou dona da verdade às vezes,
... por não compreender certas atitudes suas e julgá-las,
... por não seguir seus conselhos,
... por não me adaptar ao seu jeito,
... por falar e me arrepender depois,
... pela minha compulsividade,
... minhas neuroses,
... por zelar pela minha privacidade,
... por querer ficar só e não falar com ninguém.

Queria te dizer tanta coisa mas não posso, não tenho coragem de interferir na sua vida e de sua família. Por isso, desculpa, por eu não falar tudo que me pede, por ouvir aquilo que às vezes não quer ouvir.

Não sou completamente digna de seu amor incondicional.
Nunca serei quem você quer que eu seja, por mais que eu tenha aprendido e amadurecido muito ao seu lado, obrigada por me fazer ver que ainda sou imatura em certos atos.

Sei que agora é tarde pra pedir desculpas, mas assim como eu, você tbm me magoa às vezes e, sempre nos acertamos no final.
Tbm sei que sou eu quem tem que dar o primeiro passo e conversar contigo, mas é tão difícil reconhecer que magoei você com uma comentário infeliz e impensado. Não gosto de ver você assim.

Meu egoísmo é o maior culpado de tudo outra vez....

E agora é chegada a hora de te dizer: Desculpa por tudo isso e mais um pouco, ainda sou um ser humano que erra estupidamente às vezes, mas sei que posso contar com a sua experiência de vida e é isso que me conforta, pois sei com você ao meu lado eu me tornarei uma pessoa melhor.

Agitos de Sábado à noite

Square Bar - Cascavel
A Ana e eu curtindo o show da banda Hevo84, recomendo o som deles!

21 março, 2008

Algumas coisas.

Confesso que fique bem feliz ao ver que a história da Sarah gerou uma repercussão boa, porque não sou boa em escrever narrativas, adoro fazer dissertações e críticas, mas não narrativas. Contar histórias que não são a minha não é fácil para mim, demoro para escrever, mas quando embala é rapidinho. Vou procurar postar mais capítulos, mas isso só irá acontecer quando estiver inspirada. Podem ter certeza disto.
Enquanto isso vou continuar a postar e fazer mais modificações no blog. Agora, pela primeira vez, realmente acho que ele ficou com a minha cara, com a minha personalidade e quando alguém entrar pela primeira vez, estará vendo o meu jeito de encarar a vida.

Gostaria de sugestões para novas postagens...

20 março, 2008

Sarah e seus desencontros amorosos. Capítulo de hoje: Revolta!


Sentada na grama na sombra de uma árvore em uma tarde qualquer estava Sarah com seus pensamentos. Cada vez que tentava achar uma resposta, aumentava sua revolta...
Tudo começou quando em uma festa conheceu Diogo, a atração foi crescendo e no meio da conversa rolou o beijo, discreto, porém com gostinho de quero mais. Como de costume, Sarah apenas sabia detalhes superficias da vida de Diogo, trocaram telefone, mas Sarah não esperava que ele ia ligar e continuou a curtir sua vida, mas sem esquecer daquele beijo.
Eis que de repente toca o telefone: era ele, seu corpo estremeceu ao dizer alô e quando ele disse: Vamo dar uma volta? Ela, logicamente, concordou.
Saíram para dar uma volta, mas acabaram no apartamento dele . Sarah observava tudo e calculava seus passos, receando meter os pés pelas mãos e estragar tudo precipitando-se. O calor da conversa e da troca de carícias tornou inevitável controlar o desejo de ambos e, sem pensar nas consequências, ela se rendeu aos som da música que embalava aquele encontro....
Um turbilhão de sentimentos a invadiu depois que Sarah voltou pra casa: insegurança, medo, felicidade e aquela sensação gostosa de calma. Remorso?? Não. Ela sabia das consequências, sabia que podia se desiludir ou se apaixonar. Estranho foi saber que Sarah não tinha uma resposta pra isso, tudo muito novo? Muito recente? Talvez.
Mas como tudo que é bom na vida dura pouco, bastou o 3º encontro para deixar essa relação por um fio. Diogo, independente do lugar e das pessoas que estavam junto quando se escontraram , foi frio. Agiu como se nada demais tivesse acontecido, jogar a culpa na timidez por estar entre amigos? Não, ele tinha essa liberdade e todos já sabiam e até brincaram com a situação, mas ele para desespero de Sarah nada fez. Nenhuma atitude que desmonstrasse alguma consideração por ela.
A partir daquele momento a sensação de revolta e de incompreenção só crescia dentro de Sarah, despediram-se como amigos, apenas um beijo no rosto e mero abraço.
Mas ao contrário do que todos esperavam, Sarah continuou a agira normal, mas com a certeza de que ele era o cara errado para ela.

Os homens tem medo de mulheres inteligentes...

As mulheres não tem que ser submissas aos caprichos de um homem e nem ele aos de uma mulher superficial.

Perguntas que não querem calar:
O que faz um cara agir assim? (Ou melhor, não agir quando ele podia "exibir a todos sua conquista"?)
Por que as mulheres são intimidadas por eles e quando reverte a situação eles correm?
Por que os homens deixam de lado os sentimentos de lado em prol do prazer?
E porque as mulheres que tomam iniciativa e que tem atitude são julgadas vulgares?
O que leva uma pessoa cometer traição?
O amor está acima de TUDO?

18 março, 2008

Apenas uma história com final incerto

Sarah não tinha descoberto ainda quem realmente era, seus desejos e sentimentos estavam à flor da pele. Se considerava uma mulher atraente: morenas de olhos verdes, quadris largos, seios fartos e no seu peso ideal. Mas ainda não tinha vivido o seu primeiro amor e, isso a deixava inquieta, todas as suas amigas falavam do seu primeiro amor, e sempre a mesma história de que é o que fica, que marca e que você nunca esquece. As novelas, as revsitas mostrando essa visão até então, utópica para ela.
O problema de Sarah, se é que pode chamar isso de problema, é que ela é confusa quando tudo está claro e quando tudo está complicado ela é a única a ver solução. A passar noites imaginando o que ela quer pra si, sonhando acordada desejando uma vida melhor. Se iludindo mesmo sabendo que não está ao seu alcance, mas é daí que Sarah retira forças pra seguir em frente.
Com o passar dos anos, Sara aprendeu o que é mundo lá fora, que existe pessoas boas e más, que nem tudo é como se parece e que não se pode confiar em todo mundo. Amizades, ah... Isso ela sabia fazer! Mas ao conviver mais intimamente com as pessoas observou que era diferente de todos e que quando você mais precisa de ajuda a pessoa que lhe estende a mão é aquela que você menos espera, porque quem você julgava ser seu melhor amigo traiu sua confiança por um motivo aparentemente besta mas que para ela foi a gota d'água numa relação de 5 anos e que por causa de um orgulho acabou-se uma amizade que julgava ser eterna. A partir daí Sara passou a confiar desconfiando, e fazer novos amigos agora não é tão simples assim.
Ela dividiu os níveis de amizades: Tem aqueles que são seus amigos de festa; aqueles que você encontra uma vez ou outra, mas que mantem contato; também existem aqueles raros amigos que você pode chamar de amigos do peito, que você faz quase parte da família, que estão com você, ou pelo menos que sabem tudo da sua vida. Mas esses você conta nos dedos de uma mão. E tem aqueles amigos por interesse, é não é legal, mas existe.
Crises existenciais atormentavam a vida de Sarah, aprendeu chorar rindo e se calar quando não sabia o que fazer. Mas chegou num ponto em que decidiu dar a volta por cima e falar o sentia ao invés de guardar para si. E a viver mais intensamente cada dia e aproveitar cada oportunidade que surgia.
Conflitos familiares ela sempre teve e sabe irá ter pro resto da vida, mas passou a amenizar as situações para não gerar problemas.
Em relação ao amor, ela ainda não viveu ou pelo menos acha que não. Porque até pouco tempo achava que a liberdade era sua paixão. Beijou muitas bocas, de homens mais velhos, da sua idade e até mais novos. Não namorou, mas chegou a ficar 3 meses com um antigo colega de escola, o mais engraçado é que sabia que só iria durar enquanto houvesse liberdade e, ao com tempo as coisas começaram a ficar sérias, os sentimentos ganharam força e por isso terminaram, mas ainda se falam e se curtem de vez em quando. Apenas uma pessoa marcou a vida dela com um beijo em uma noite, pois sentiu algo que até hoje não sabe explicar, uma sensação de cumplicidade de que aquele homem era "O cara" que tanto procurava, mas sabia que a distância não permitiria mais que uma noite juntos, então viveu aquele momento intensamente e, hoje ele é apenas uma vaga lembrança.
Cometeu vários erros sim, foi ingênua, levou porre, correu riscos , deixou a adrenalina falar mais alto no momento e agiu sem pensar, se desulidiu mais de uma vez, deu a 2ª chance e a pessoa falhou, traiu, chorou, gritou, riu de coisas que só ela achou graça e observou detalhes que ninguém notou.
Aos 23 anos, Sarah ainda busca respostas as muitas de suas perguntas, mas aprendeu com seus erros e hoje mantem-se na linha. Quando a carência fala mais alto comete alguns erros, mas está ciente das consequências. Tem dificuldade para manter vínculos, prefere curtir somente aquele momento e nada mais. Sem perguntas, só ouvir a respiração dos corpos entrelaçados...
Sua maior loucura???
Ser ela mesmo, sem se importar com que os outros vão achar, não julgar sem entender os motivos e dar aquilo que recebe, se a pessoa é falsa com ela, terá reciprocidade.
Talvez seja buscar em alguém as respostas para suas aflições, mesmo que seja saindo cada dia com um até achar esse alguém para enfim viver seu 1º amor...
Arrependimentos?
Claro que tem, Sarah é um ser humano como qualquer outro, mas se pudesse voltar atrás faria tudo de novo, pois mesmo no seu maior erro foi onde se conheceu melhor e viu nas pessoas sentimentos que nunca teria visto se não tivesse acontecido aquilo.

17 março, 2008

Mar Adentro

Imagem do filme Mar Adentro com Javier Bardem (Rámon Sampedro) e Belén Rueda (Julia)

Hoje assisti o filme"Mar Adentro" na faculdade na aula de bases das ciências humanas e psico-sociais e, como tenho que fazer uma reflexão sobre o tema, achei melhor expôr para quem quiser ler e dar sua opinião, uma vez que o tema é um tanto quanto polêmico.

Questões abordadas pelo filme:

- Medo da morte

- O que é liberdade?

- O que dignidade para um tetraplégico?

- Qual é o sentido da vida?

- Uma vida que lhe tira a liberdade não é vida assim como uma liberdade que lhe tira a vida não é liberdade.

- Qual é o poder que uma pessoa pode execer sobre a vida de outra?

E o tema chave: Viver é direito e não uma obrigação!

Pela hora da morte
Aurora Bau lutou pela eutanásia de Ramón Sampedro, o tetraplégico do filme Mar Adentro. Para ela, todos nós temos o direito de escolher quando a vida acaba


Durante três anos, o marinheiro espanhol Ramón Sampedro lutou nos tribunais pelo direito de morrer. Quando jovem, ele mergulhou no mar e bateu a cabeça. A queda o deixou paralisado sobre a cama, podendo mover apenas os músculos do rosto. Após 26 anos prostrado, Ramón concluiu que era melhor morrer. Mas, como tetraplégico, não conseguia se matar. É aí que entra Aurora Bau, espanhola de 67 anos que dirige a Associação Direito a Morrer Dignamente (ADMD), uma das mais ativas ONGs mundiais pela legalização da eutanásia.

A história de Ramón ganhou fama com Mar Adentro, vencedor do Oscar de melhor filme estrangeiro neste ano. Aurora foi consultora do roteiro e serviu de inspiração para uma das personagens, a ativista Gené. Em 1995, ela ofereceu amparo jurídico ao pedido de eutanásia do marinheiro. Com a recusa dos tribunais, passou a lhe prestar assistência psicológica enquanto ele planejava o intrincado esquema de sua morte: 14 amigos realizaram pequenos atos que não eram considerados crimes, mas levaram Ramón à morte (Aurora diz não ter participado da operação). Também se incumbiu de divulgar sua causa: a vida é um direito, e não um dever. Para ela, a eutanásia é uma questão de livre arbítrio igual a doar órgãos, ter filhos ou dirigir um carro. Na Espanha, a ativista foi uma das principais líderes do movimento que conseguiu a legalização da eutanásia passiva, que permite ao doente optar por não continuar o tratamento sem que o médico seja judicialmente acusado de negligência.

Por Érica Montenegro (http://super.abril.com.br/superarquivo/2005/conteudo_63707.shtml)

Eutanásia: Definição

Vem do grego que significa algo como "boa morte". A idéia básica é que por meio da ação ou omissão no tratamento de uma pessoa doente ou incapacitada permita-se que ela chegue à morte de uma forma considerada digna, tendo-se em perspectiva a redução de seu sofrimento em vida, como pregou o filósofo Francis Bacon em sua obra, ao cunhar o termo eutanásia no século XVII.

Pra ler mais sobre o assunto: http://www.universia.com.br/html/materia/materia_ggef.html

Reflexão:

O filme relata o drama de uma pessoa tetraplégica que aprendeu a chorar rindo, que ao passar mais de 26 anos praticamente inerte abre um processo na justiça para conseguir um aval para que morrer com dignidade, já que não pode cometer suicídio e precisa da ajuda de alguém para morrer, o que seria considerado crime.

Ele morreu ao 28 anos, 4 meses e alguns dias ao tomar 200 mg de Cianureto de Potássio e deixando bem claro para as pessoas que estava em perfeita faculdade mental e que não agia por medo de morrer e, essa era a melhor forma para se ver livre, uma vez que ele via a cadeira de rodas como sendo migalhas de liberdade e, vida sem liberdade não era vida. Denfendia que viver é um direito e não uma obrigação, como no caso dele em que os familiares mantinha-o vivo por achar que ele não deveria morrer.

Para ajudar alguém a morrer tem que ter coragem e enfrentar muitos obstáculos morais, mas se a pessoa, nessas condições, realmente quer morrer não seria justo acatar sua decisão? Não deixa de ser um direito do ser humano escolher a hora a morte, a questão é como e quando. A morte faz parte do ciclo de vida de qualquer ser vivo e, idependente de cor, credo e classe social. O que nós, seres humanos, podemos interferir nesse ciclo é no tempo, prolongando a vida de algum paciente terminal com o tratamento adequado e minimizando a dor...

É um tema bem complexo que gera muitas perguntas sem respostas, mas que serve de reflexão para as pessoas. Não vou me estender mais ao tema senão acabo falando de religião e não quero. Pois o meu ponto de vista é um, mas cada um tem o seu e devemos respeitar.

16 março, 2008

Expobel

Expobel

De 07 a 16 de março acontece em Francisco Beltrão a 23ª edição da maior feira do Sudoeste do Paraná. Tradicional, a Expobel chega aos 40 anos apresentando o melhor da agricultura, agropecuária, indústria, comércio, shows e entretenimento em um só lugar. Uma grande vitrine, que durante os 9 dias de realização, atrai mais de 300 expositores dos mais variados segmentos expondo o que a região tem de melhor a oferecer.

Consolidada como pólo regional, Francisco Beltrão está localizada no centro da região sudoeste do Paraná. Conhecida como coração do sudoeste, a cidade de povo hospitaleiro e acolhedor abraça a Expobel como sendo um evento da comunidade e que leva seu nome para todo o país.

Hoje, com aproximadamente 75 mil habitantes, Francisco Beltrão tem a maior economia do sudoeste, e se destaca pela produção moveleira, agroindústrial, metal leve e confecções. Além disso, a cidade vem se firmando como centro universitário e grande prestador de serviços, gerando com isso um grande número de novos postos de trabalho.É neste ambiente próspero e de crescimento que vai acontecer a 23ª Expobel, uma feira ainda maior, pronta a trazer a festa que o público quer, e o retorno que os investidores esperam.

A Expobel chega a sua 23ª edição consolidada como a maior feira do sudoeste do Paraná e uma das mais importantes do sul do Brasil. Realizada no Parque Jayme Canet Junior, a exposição conta com uma estrutura de sete pavilhões com 3.850m² e um moderno centro de eventos com 9.000m², totalizando com sua área externa, quase 100.000m² de muita beleza em plena harmonia com a natureza.

A feira, que acontece a cada 2 anos e vem crescendo a cada edição, reúne mais de 500 expositores de vários setores da economia e de diversos estados. Durante os 10 dias de realização, são esperados na Expobel mais de 300 mil pessoas de toda a região para assistir aos shows, realizar negócios.

Para que quiser saber mais: http://www.expobel.com.br/

-------------------------------------------

Para olhar as fotos dos shows e algumas das minhas "aventuras" pela feira é só clicar na imagem do show ok?

Eu fui nos 4 maiores show que tiveram durante a feira, o 1º foi do Fernando e Sorocaba e tava lá eu com minha prima e a galera dela(mas pense na galera, umas 20 pessoas) de agronomia e só dava eu lá no meio de metida .. uasdhaus

"Hj tem festa na cidade e eu quero ver você dançar....."

"O amorrr machuca meu peito.. O amorrr me pegou de jeito.. Jã´não sei mais amar por amar eeee to indo de encontrar"

O 2º show foi do Zé Ramalho, em que fui com meu tio e meu primo, não tinha muita gente mas tava bom, as letras das músicas são bem bonitas. E eu só sabia uma: Eeeeooooo vida de gado... povo marcado Êeee povo feliz.. usdahudhsa. Mas tem chão de giz, 3ªlâmina e mistérios da meia noite que são boas tbm.

Já o 3º show do Paralamas do Sucesso, confesso que não vi mto o show só escutei pq tava acompanhada e sabe né... Então, mas foi bom tbm, conhecia a maioria das músicas mas a que eu mais gosto é Seguindo estrelas:" Busco palavras e sigo estrelas o que é que o mundo fez pra você rir assim..." Cuide bem do seu amor, Calibre, Lanterna dos afogados.. enfim foi bom!

E o último, mas não o menos importante e para mim o mais esperado foi o do Bruno e Marrone! Nossa fui ao delírio quando eles entraram no palco... Mto bom!!! Apesar da quantidade de pessoas que tinha - umas 70 mil! E eu bem facera lá no meio do povão gritando: Lindooo !!! Uhulllll!!! E catando TODAS as músicas, as pessoas do meu lado pensaram que era loca ou que eu gostava realamente deles pq não teve uma música que não sabia de cor! Não cantaram uma música que eu queria que foi Assim como sol, mas como nem tudo é perfeito, eu perdôo.. asudhsdua

Bom, resultado: eu to rouca, acabada, umas trinta bolhas nos pés, mas feliz!!!

Precisava ver gente e me alegrar um pouco!

Uhuuulll Eu Ganhei \o/\o/\o/

Fiquei bem feliz em receber um prêmio pelo blog, foi uma ingessão de ânimo para mim retomar com as postagens e, como é regra do prêmio ter uma postagem falando sobre ele, aqui está.

Bom, aí vão as regras do prêmio:

1 - Este prémio deve ser atribuído aos blogs que considerem serem bons (entenda-se como bons os blogs que costumam visitar regularmente e onde deixam comentários)

2 - Só e somente se recebeu o "É um blog muito bom sim senhor", deve escrever um post incluindo: a pessoa que lhe deu o prémio com um link para o respectivo blog, a tag do prémio, as regras, e a indicação de outros 7 blogs para receberem o prémio

3 - Deve exibir orgulhosamente a tag do prémio no seu blog, de preferência com um link para o post em que fala dele.

Em relação aos blogs que tem que indicar não tenho em mente todos os 7 agora, mas prometo colocar assim que der. Aqui vai alguns deles:

All Access To All Things http://all-access-to-all-things.blogspot.com/ - Retribuindo o prêmio, nada mais justo ser o primeiro da lista ;)

Aprendi com a Primavera a me Cortar http://lascivotorpor.blogspot.com/

Penso, logo mudo de idéia http://pensologomudodeideia.wordpress.com/

11 março, 2008

Nada como um dia após outro...

Hoje me sinto melhor, está chovendo e sentir o vento e o cheiro de chuva me revigora, pegar energias da natureza é sempre bom.

10 março, 2008

Por tempo ideterminado

Confesso

Confesso ter abandonado o blog por uns dias, mas foi mais forte que eu.
Ainda não estou bem, hoje eu estou com aquela sensação de coração apertado e precisando de um abraço...
Coisas aconteceram nesse fim de semana e mexeram comigo, revi algumas pessoas que agora sei que não deveria ver, mas me diverti no sábado pois teve show da dupla sertaneja Fernando e Sorocaba, foi bem legal e, com sempre, saí de lá sem voz.
Já falei que segunda-feira é um péssimo dia pra mim!? E ainda mais com essa falta de ânimo que estou...
Queria mesmo escrever coisas legais, mas não consigo pensar em nada que seja realmente produtivo, por isso vor me abster por mais um tempo até que eu melhore um pouco mais.

04 março, 2008

Suspiros inconsoláveis de hoje.

As vezes fico pensando no que passou e no que vai acontecer, ou no que eu gostaria que acontecesse e, a cada pensamento me perco nos meus sentimentos e os desvaneios são inevitáveis.

Gostaria de compreender certos atos e relações familiares que vão contra aos meus princípios. E que quanto mais eu tento, menos eu sei. Na verdade acho que preciso de terapia de novo! Falar com alguém que me mostre uma luz, um caminho, enfim, que aponte meus erros para que eu possa corrigí-los. Ou então ver que o problema não esta comigo e sim com os outros. Não gosto dessa sensação de peixe fora d'água, acho que as pessoas não me compreendem ou sei lá, por algum motivo não faço amizades facilmente, alguns falam que me amam e outros nem olham na minha cara, uns falam pra eu continuar sempre assim, e outros não gostam do meu estilo. Sei que não posso agradar e "gregos e troianos", mas posso ficar no meio. Falsidade não é comigo, mas pode ser recíproca.

Porque será que as vezes simpatizo com a pessoa na hora e crio um vínculo e noutras eu me decepciono quando eu menos espero? Talvez esse seja o motivo de eu não criar vínculos muito profundos com alguém por medo de me machucar mais uma vez e, sei que a cada decepção, eu sofro demais... Não gsoto de criar por medo de perder, essa é verdade. Igual que aconteceu recentemente, mas a distância não é motivo para o fim, mas acaba complicando.

Essa sensação de angústia me consome aos poucos. Já chorei, esbravejei e não passou. Tentei me conformar mas não deu. A chama ainda está viva e basta um sopro pra ela vir à tona. Não sei se escrevendo isso vai ajudar, pois até agora não to vendo resultado.

Saber que alguém vai ler e talvez deixar um comentário falando que isso é normal ou que já se sentiu assim, possa me reconfortar de algo modo. Mas....
Queria mesmo ouvir que eu vou superar isso e que eu tenho forças e já passei por coisas bem piores etc. Que essa crise depressiva vai passar rápido, mas sei que isso só sára se alguém estiver do meu lado...

Ai! Um último suspiro de hoje.

São essas e tantas outras coisas...

Não sei exatamente o que dizer e nem que rumo isso vai dar, mas tenho que dar o primeiro passo de muitos.
Posso estar enganada, mas também posso acreditar que tudo vai dar certo daqui pra frente.
Quero sonhar com a realidade e não viver nesse mundo utópico que crio para aliviar meus problemas.
Quero fazer e acontecer.
Estar em todos os lugares quando não se está em nenhum.
Imaginar que o dia possa ter mais de 24 horas e aproveitá-lo como se fosse o último.
Sentir tudo que ainda não senti.
Viver mais!
Ser mais eu, não me importando com o que os outros vão achar.
Abandonar crenças inutéis e acreditar naquilo que eu quiser.
Me sentir bem ao me olhar no espelho.
Acordar e dar bom dia ao Sol.
Ouvir os passarinhos cantando e ver o quanto é bonita a natureza.
Dormir o suficiente pra me sentir bem.
São essas e tantas outras coisas que queria fazer...