Unwritten

Escrever, escrever e escrever....
Deixar as palavras formarem frases, parágrafos e textos... Contar notícias, tragédias, cartas de amor, cartas de saudades, de alegria, mensagens de reflexão.Buscar em coisas escritas aquilo que não se encontra ao escutar.Achar no meio de um livro antigo uma rosa seca e, ao ver, recordar o passado.
Desligar-se do mundo ao ler um livro, entrar na história e ser o narrador observador.E por alguns instantes esquecer de tudo.

Eu escrevo por hábito, por gosto, porque quando escrevo esqueço do mundo ao meu redor, as palavras chegam na minha mente e eu simplesmente as escrevo.Podem não ter significado pra você, mas para mim, sempre tem.

Nossas vidas são como livros, a cada dia uma nova página é escrita.

26 janeiro, 2008

Basta apenas um telefonema....

“Curioso fui discando aquele número,sem saber quem é que me atenderia. Que surpresa o meu coração parou naquela hora, era alguém que há muito tempo foi embora e deixou a minha vida tão vazia... E aí chorei, arrepiei, me deu vontade. O seu alô me desmontou, bateu saudade...” (Seja Bem vinda – Bruno e Marrone)

É... quem diria que um telefonema faz a pessoa tremer por dentro e sentir aquele frio na barriga. Pude sentir isso em São Paulo e foi muito bom relembrar alguns momentos que estavam esquecidos.

Relembrar é viver!

0 comentários: