Unwritten

Escrever, escrever e escrever....
Deixar as palavras formarem frases, parágrafos e textos... Contar notícias, tragédias, cartas de amor, cartas de saudades, de alegria, mensagens de reflexão.Buscar em coisas escritas aquilo que não se encontra ao escutar.Achar no meio de um livro antigo uma rosa seca e, ao ver, recordar o passado.
Desligar-se do mundo ao ler um livro, entrar na história e ser o narrador observador.E por alguns instantes esquecer de tudo.

Eu escrevo por hábito, por gosto, porque quando escrevo esqueço do mundo ao meu redor, as palavras chegam na minha mente e eu simplesmente as escrevo.Podem não ter significado pra você, mas para mim, sempre tem.

Nossas vidas são como livros, a cada dia uma nova página é escrita.

29 novembro, 2008

Há limites???

Sinto que tudo posso dentro dos meus limites, mas afinal quais são eles?
Qual é o limite do ser humano?
O que pode ser considerado como limite?
Cada caso um caso... Dizem que cada um deve saber seus limites.
Porém, não há limites para sonhar, para ser feliz e para amar - teoricamente falando.
Será que cada um sabe realmete o seu limite?
Sinceramente não, é só acompanhar as tragédias diárias transmitidas pela mídia e, a cada dia, me sinto impotente perante a inconsequência humana e a falta de humanismo perante o próximo.
É pai matando filho, é filho matando a mãe, é empregada espancando criança, pessoas atiradas pela janela, sequestradas e torturadas por motivos banais, atentados terroritas, abuso de poder, é a seca no sertão e as enchentes no sul do país... Quer mais exemplo que isso?
Não sei onde vamos parar, mas com certeza não dá para continuar como estamos.

0 comentários: