Unwritten

Escrever, escrever e escrever....
Deixar as palavras formarem frases, parágrafos e textos... Contar notícias, tragédias, cartas de amor, cartas de saudades, de alegria, mensagens de reflexão.Buscar em coisas escritas aquilo que não se encontra ao escutar.Achar no meio de um livro antigo uma rosa seca e, ao ver, recordar o passado.
Desligar-se do mundo ao ler um livro, entrar na história e ser o narrador observador.E por alguns instantes esquecer de tudo.

Eu escrevo por hábito, por gosto, porque quando escrevo esqueço do mundo ao meu redor, as palavras chegam na minha mente e eu simplesmente as escrevo.Podem não ter significado pra você, mas para mim, sempre tem.

Nossas vidas são como livros, a cada dia uma nova página é escrita.

18 março, 2008

Apenas uma história com final incerto

Sarah não tinha descoberto ainda quem realmente era, seus desejos e sentimentos estavam à flor da pele. Se considerava uma mulher atraente: morenas de olhos verdes, quadris largos, seios fartos e no seu peso ideal. Mas ainda não tinha vivido o seu primeiro amor e, isso a deixava inquieta, todas as suas amigas falavam do seu primeiro amor, e sempre a mesma história de que é o que fica, que marca e que você nunca esquece. As novelas, as revsitas mostrando essa visão até então, utópica para ela.
O problema de Sarah, se é que pode chamar isso de problema, é que ela é confusa quando tudo está claro e quando tudo está complicado ela é a única a ver solução. A passar noites imaginando o que ela quer pra si, sonhando acordada desejando uma vida melhor. Se iludindo mesmo sabendo que não está ao seu alcance, mas é daí que Sarah retira forças pra seguir em frente.
Com o passar dos anos, Sara aprendeu o que é mundo lá fora, que existe pessoas boas e más, que nem tudo é como se parece e que não se pode confiar em todo mundo. Amizades, ah... Isso ela sabia fazer! Mas ao conviver mais intimamente com as pessoas observou que era diferente de todos e que quando você mais precisa de ajuda a pessoa que lhe estende a mão é aquela que você menos espera, porque quem você julgava ser seu melhor amigo traiu sua confiança por um motivo aparentemente besta mas que para ela foi a gota d'água numa relação de 5 anos e que por causa de um orgulho acabou-se uma amizade que julgava ser eterna. A partir daí Sara passou a confiar desconfiando, e fazer novos amigos agora não é tão simples assim.
Ela dividiu os níveis de amizades: Tem aqueles que são seus amigos de festa; aqueles que você encontra uma vez ou outra, mas que mantem contato; também existem aqueles raros amigos que você pode chamar de amigos do peito, que você faz quase parte da família, que estão com você, ou pelo menos que sabem tudo da sua vida. Mas esses você conta nos dedos de uma mão. E tem aqueles amigos por interesse, é não é legal, mas existe.
Crises existenciais atormentavam a vida de Sarah, aprendeu chorar rindo e se calar quando não sabia o que fazer. Mas chegou num ponto em que decidiu dar a volta por cima e falar o sentia ao invés de guardar para si. E a viver mais intensamente cada dia e aproveitar cada oportunidade que surgia.
Conflitos familiares ela sempre teve e sabe irá ter pro resto da vida, mas passou a amenizar as situações para não gerar problemas.
Em relação ao amor, ela ainda não viveu ou pelo menos acha que não. Porque até pouco tempo achava que a liberdade era sua paixão. Beijou muitas bocas, de homens mais velhos, da sua idade e até mais novos. Não namorou, mas chegou a ficar 3 meses com um antigo colega de escola, o mais engraçado é que sabia que só iria durar enquanto houvesse liberdade e, ao com tempo as coisas começaram a ficar sérias, os sentimentos ganharam força e por isso terminaram, mas ainda se falam e se curtem de vez em quando. Apenas uma pessoa marcou a vida dela com um beijo em uma noite, pois sentiu algo que até hoje não sabe explicar, uma sensação de cumplicidade de que aquele homem era "O cara" que tanto procurava, mas sabia que a distância não permitiria mais que uma noite juntos, então viveu aquele momento intensamente e, hoje ele é apenas uma vaga lembrança.
Cometeu vários erros sim, foi ingênua, levou porre, correu riscos , deixou a adrenalina falar mais alto no momento e agiu sem pensar, se desulidiu mais de uma vez, deu a 2ª chance e a pessoa falhou, traiu, chorou, gritou, riu de coisas que só ela achou graça e observou detalhes que ninguém notou.
Aos 23 anos, Sarah ainda busca respostas as muitas de suas perguntas, mas aprendeu com seus erros e hoje mantem-se na linha. Quando a carência fala mais alto comete alguns erros, mas está ciente das consequências. Tem dificuldade para manter vínculos, prefere curtir somente aquele momento e nada mais. Sem perguntas, só ouvir a respiração dos corpos entrelaçados...
Sua maior loucura???
Ser ela mesmo, sem se importar com que os outros vão achar, não julgar sem entender os motivos e dar aquilo que recebe, se a pessoa é falsa com ela, terá reciprocidade.
Talvez seja buscar em alguém as respostas para suas aflições, mesmo que seja saindo cada dia com um até achar esse alguém para enfim viver seu 1º amor...
Arrependimentos?
Claro que tem, Sarah é um ser humano como qualquer outro, mas se pudesse voltar atrás faria tudo de novo, pois mesmo no seu maior erro foi onde se conheceu melhor e viu nas pessoas sentimentos que nunca teria visto se não tivesse acontecido aquilo.

4 comentários:

Divinius disse...

Gostei de ler.
Boa semana:)

\ L i n e n h a . A u t i e r i / ♥ disse...

-Oii Flooor;D
Vi agr seuuu coments ;D
(LLLLLLLLL)
iNAH OBRIGADAA PELAA VISITAA ! Aquii tbm ée supeer Legal;D lii sua historiaa! Sim eu liiii!
muitos dizem blablablablah!e Espero o proximo cap;D
Beijos

[Red Skin] disse...

vc não errou o nome não??? hehe to brincando
adorei o texto! é o tipo de pessoa intensa, que gosta da vida sem se iludir achando q ela é bela! aliás, a beleza da vida é justamente em não se bela! ela simplesmente é!

bjão!!

Nucifera disse...

Impressionante como de repente, por alguns minutos, me senti feita em linhas.
deliciosa sua maneira de escrever.

bjs