Unwritten

Escrever, escrever e escrever....
Deixar as palavras formarem frases, parágrafos e textos... Contar notícias, tragédias, cartas de amor, cartas de saudades, de alegria, mensagens de reflexão.Buscar em coisas escritas aquilo que não se encontra ao escutar.Achar no meio de um livro antigo uma rosa seca e, ao ver, recordar o passado.
Desligar-se do mundo ao ler um livro, entrar na história e ser o narrador observador.E por alguns instantes esquecer de tudo.

Eu escrevo por hábito, por gosto, porque quando escrevo esqueço do mundo ao meu redor, as palavras chegam na minha mente e eu simplesmente as escrevo.Podem não ter significado pra você, mas para mim, sempre tem.

Nossas vidas são como livros, a cada dia uma nova página é escrita.

26 novembro, 2007

Passado e presente se unem num único foco: Vestibular

É, o ano está acabando e em pouco mais de um mês já estaremos em 2008. Como no ano passado, irei fazer a famosa "autoretrospectiva".
Aconteceram tantas coisas nesse ano que não sei por onde começo. Mas vamos lá:
No final de janeiro minha vida deu um giro de 180 graus com a minha vinda para o Paraná.
Mas vamos voltar mais um pouco no passado (final de 2005 e começo de 2006) e focar o vestibular.....
Em janeiro eu estava estressada e cansada de tudo. Agoniada por não ter a certeza do meu futuro e sonhava em fazer um cursinho bom que pudesse aumentar minahs chances de passar numa facul pública. Mas sabia que depender da vontade dos outros para isso acontecer devido a minha falta de recursos era a mesma coisa que achar que existe coelhinho de Páscoa. Até então queria fazer Fisioterapia, sempre quiz e se possível ainda farei. Talvez pelo fato de ajudar as pessoas a se recuperarem e saber que você contribuiu para que isso acontecesse seja o fato mais gratificante dessa profissão, todos deviam ter o dom de ajudar as pessoas indepentdntemente de credo, cor e posição social.
Passei vários períodos da minha adolescência fazendo sessões intermináveis de fisioterapia por causa do meu joelho, pois tive um problema de crescimento e volta e meia meio joelho decide inflamar. Sei de quase tudo sobre os aparelhos e técnicas e como é o dia-a-dia numa clínica de fisioterapia. Acontece que o mercado está saturado, principalmente em São Paulo e, minhas chances de passar na USP era quase irreais já que eram apenas 25 vagas. Prestei USP e UNESP mas não passei e por isso fui trabalhar. Creio que já contei como foi difícil o ano de 2006 em casa e por isso não vou relatar aqui.
Voltei ao passado por causa do vestibular e, a causa de tudo ou o começo de uma vida nova neste ano foi por causa dele.
Hoje, posso dizer com muito orgulho que cursei o 1º ano de Biomedicina na Universidade Paranaense, portanto, estou na tão sonhada faculdade. Mesmo que ela seja particular.
Fatos que aconteceram durante este ano estão em postagens anteriores, claro que não tudo, mas os fatos importantes estão e relendo-os vejo o que passou na minha cabeça naquele momento e que hoje não é mais assim.
Deixarei para fazer essa reflexão dos meus atos e da minha vida numa outra postagem futuramente, hoje decisivamente não é um dia propício....

2 comentários:

Anônimo disse...

Não seria um giro de 180º? O.o
Se fosse 360 ela teria voltado pro mesmo lugar. Não acha? o.o

Nathalia Schervinski disse...

Confesso que não tinha pensado nisso.
Mas a intenção era dizer que mudou a minha vida completamente e de um dia para o outro.
Enfim, já diminui o giro.